30 de abril de 2012

Blumenau/SC: Frühstück Cafeteria


No centro de Blumenau encontrei um simpática cafeteria que serve delícias coloniais com um charme moderno, a Frühstück Cafeteria.  Localizada na Rua XV de Novembro, nas antigas instalações da Loja Hermes Macedo (atual galeria Bremen Zenter), o café foi inaugurado em abril deste ano no mesmo local e com o mesmo nome que possuía a lanchonete da Loja HM da década de 60. 

A Frühstück serve cafés da Cafeeira Garibaldi na versão tradicional (80% grãos arábica e 20% robusta), ou gourmet (100% arábica), há também a opção de cafés premiados (como o Dona Mathilde) e de grãos orgânicos. Eu experimentei uma média do gourmet Garibaldi (R$6,00), que estava delicioso.

Para acompanhar o cafezinho comi uma fatia (super farta) de cuca de abacaxi com laranja (R$ 2,50)...fantááástica! A massa molhada e cheia de pedaços de fruta, com uma farofa no ponto! Repetiria com certeza essa delícia!

O local é sossegado e o atendimento eficaz. As mesas, em especial, chamaram minha atenção: cada uma das 10 mesas conta um pouquinho da história da cidade por meio de recortes de jornal que relembram fatos importantes do passado de Blumenau.

Se passar por Blumenau dê um pulinho lá, vale a pena!


Obs: Para quem ficou curioso, como eu, Früstück (lê-se Fristick)  era o termo utilizado pelos colonos para denominar o café da manhã reforçado que tomavam na volta dos trabalhos no campo.


Rua XV de Novembro, n. 1.357, centro, Blumenau/SC
Horário de atendimento: de segunda a sexta das 07:30h às 21:00h, sábados das 07:30h às 15:00h.


Exibir mapa ampliado

26 de abril de 2012

Starbucks em Floripa - BIG FAT LIE

Pamonha! Pamonha! Pamonha!

Apesar de haver no Facebook um página dedicada ao Starbucks Florianópolis que, pasme, tem mais de 1400 seguidores, vai aí a verdade: a empresa não tem intenção imediata de investir em Florianópolis, o foco ainda é eixo Rio-São Paulo.

Fonte: Google

Já havíamos veiculado isto aqui, mas é sempre bom repetir.

A nossa sócia Vivian enviou um e-mail à Starbucks para tirar de vez a dúvida.
A resposta foi essa:


Agradecemos seu contato conosco! 
Informamos que todas as solicitações para abertura de novas lojas Starbucks são muito bem-vindas e sempre avaliadas por nossa equipe! 
Quanto à sua dúvida, informamos que no momento não temos previsões para outras cidades, pois estamos inicialmente concentrando nossas operações no eixo Rio-São Paulo. Esperamos uma futura oportunidade de expansão mais abrangente e que estejamos em breve em Florianópolis. 
Agradecemos a compreensão! 
Atenciosamente, 
Marketing Starbucks Brasil
www.starbucks.com.br                                                                       
Visite nossa fanpage no Facebook  
 Acompanhe-nos pelo Twitter  


Assim, se contentem com os espressos das cafeterias nacionais! (apesar de saber que a maioria de vocês quer mesmo são aqueles cappuccinos/frappuccinos extra doces melequentos que eles fazem rss #safadiiinhos)

Até a próxima!
Viu que temos página no face e twitter né?
Confere aí na barra ao lado!

Beijo!

25 de abril de 2012

Coluna das Quatro: por José Cândido de Borba Neto

As Quatro tem o prazer de apresentar uma novidade do blog: a coluna do José Cândido de Borba Neto, Zeca para os íntimos. rsrs
Para quem não lembra, ele foi nosso mestre no Curso Básico de Barista, que vocês podem ler mais aqui e aqui, pois foi dividido em duas partes para facilitar a leitura de vocês.
Para dar continuidade a este projeto, estabelecemos uma parceria com ele para enriquecer o conhecimentos de todos sobre café e outras coisitas que em breve serão apresentadas.

Por isso, deleitem-se com a leitura e nos deem feedback de sugestões para os próximos temas! Ficaremos felizes com a participação!


PAUSA PARA O “CAFEZINHO” ESPECIAL.

Que o Brasil é o maior produtor de café do mundo todos sabem. Mas essa bebida estimulante, que faz parte do dia-a-dia do brasileiro há séculos, seja como termômetro da economia, seja no emblema da camisa da nossa Seleção, já não é mais a mesma.
O café produzido no país, que é commodity extremamente valorizada no exterior, sempre teve grande penetração nos mais diversos mercados estrangeiros porque os grãos, exportados crus, eram sempre submetidos a um rigoroso processo de seleção antes do embarque. Os melhores grãos, os mais perfeitos, aqueles que depois de torrados produziriam as melhores bebidas, tinham como destino certo países com forte tradição no seu beneficiamento, como Alemanha, Estados Unidos e Itália. E os grãos não classificados? O resto? Todo aquele café que não passava na estreita peneira dos exigentes e endinheirados mercados? Para onde ia? Pois todo o café que o mundo não desejava, o rejeito das melhores safras de nossa premiada produção, que continha os grãos imperfeitos, cascalho, galhos, folhas e outras impurezas, acabava sendo torrado, moído e passava a habitar as apinhadas gôndolas dos supermercados e mercadinhos do país sob as mais diversas marcas. Esse café, conhecido entre os produtores como “de consumo interno”, é o café que, ainda hoje, teimamos em comprar e utilizar em nossos lares.
Mas, devido a diversos fatores, como o recrudescimento da economia mundial, a variação do câmbio, e também ao aparecimento de uma cultura “gourmet”, vários dos produtores brasileiros dos melhores grãos do mundo passaram a olhar para o mercado interno com outros olhos. Há poucos anos, fazendas de café situadas nas grandes regiões produtoras passaram a desenvolver a arte da torrefação em solo tupiniquim, dando início a uma nova fase dessa magnífica fruta.
Os mais exigentes consumidores brasileiros, que já haviam sido surpreendidos pelo florescimento dos mercados de bons vinhos e cervejas especiais, agora passaram a ser arrebatados pelo aroma e sabor inconfundíveis do café “especial”. Uma bebida extraída dos melhores grãos de cada uma das melhores fazendas produtoras de café. E não é só. Assim como os somelliers e beer somelliers, o mercado de café importou para o país a figura do barista, o profissional dedicado à extração do café em uma máquina de café espresso (assim, com “s” mesmo!), e em alguns casos, à arte de combinar grãos de diversas procedências, torrá-los da maneira correta, e entregar, ao final, um blend que evidencie características como doçura, acidez, corpo, aroma e retrogosto.
Bom, diante de todo esse novo cenário, da próxima vez que fizer uma pausa para o “cafezinho”, certifique-se de que está tomando um café “especial” de verdade e prepare-se para descobrir novas e surpreendentes sensações.

José Cândido de Borba Neto
Craft Beer – Cafés, Cervejas e Vinhos Especiais
                        Florianópolis - SC

24 de abril de 2012

São Paulo/SP - The Fifties hamburgueria

Não minha gente, não é café, é hamburguer novamente!
Eu sei que nosso foco é café, mas acontece que não é só disso que vivemos!

A pessoa aqui foi à São Paulo no começo de abril passar um mísero dia por lá só para assistir ao show do Roger Waters - The Wall. Sou fã de rock, não podia perder essa!

Como disse, tempo pra café eu só tive na ida, Aeroporto Internacional Hercílio Luz, esqueci o nome da cafeteria - basicamente só tem uma lá! - mas para mim já é um ritual toda vez que passo por lá.

A escolha foi um espresso pequeno. Confesso que não é dos melhores, mas conseguem superar pela simpatia do atendimento que é feito no balcão.
A crema se manteve, veio num tom caramelo que é o que se deseja. Dava pra tomar sem açúcar numa boa!
Preço, confesso que não lembro, mas se não me engano foi uns R$ 6,00. Caro? Pode ser... típico de aeroportos Brasil afora!
Aceitam cartões.



Café Guidalli é aqui de Santa Catarina. É produzido na Serra Catarinense, próximo a Lages. Já falamos um pouco sobre ele aqui.

Não fui sozinha para lá! Estava com uma amiga super parceira de rock, a Fernanda,  que, como eu, ainda não havia almoçado às 14h.. mais ou menos a hora que chegamos ao hotel Formule 1 (Morumbi).

Descobrimos que estávamos exatamente ao lado do Shopping Morumbi, o que foi providencial!
Lá procuramos um local pra comer e paramos no The Fifties!



O nome já é conhecido por alguns, mas para mim foi novidade!
A unidade do shopping foi inaugurada em 2007, mas a hamburgueria, que também serve cachorro quente, saladas, e outras coisas, existe desde a década de 90.
A Veja SP "Comer e Beber" já elegeu o lugar, por várias vezes, como melhor hamburguer, cachorro quente e batata frita. Bacana né?

Apesar de eu ter problemas com a avaliação que a Veja Santa Catarina faz dos lugares daqui, confesso que a de São Paulo não errou: realmente muito bom!
Tanto atendimento quanto a comida!

O local tem um arzinho anos 50, como propõe o nome.
Os garçons se vestem com roupas engraçadinhas, bem divertido.

O cardápio mostra inúmeras opções.
A capa é uma graça! Uma jukebox das antigas.. 



O clássico deles é a linha Pic Mundo, que foi a nossa escolha.
São hamburgueres de picanha com vários recheios diferentes.
As nossas opções foram o Pic Burger e o Pic Asiático.

O Pic Burger é gigante.. só a minha amiga pra aguentar!
Hamburguer picanha, alface "juliana", cebola picada, queijo e molho especial.
Só pela aparência já dava pra saber que estava delicioso. A Fernanda aprovou!
Preço: R$ 20,90

Já o Asiático é uma deliciosa surpresa!
O funghi é algo que realmente não se espera encontrar em um hamburguer! Sensacional o sabor!
Além da picanha, cream cheese e o funghi temperado com alho-poró.
Preço: R$ 23,20

Lanche completo! O debaixo é o Asiático e o de cima é o Pic Burger.

Para acompanhar, nos sugeriram a Fritas Fifties acompanhada da maionese Fifties.
O cara que nos atendeu disse que era muito boa. 
Discordo só em relação ao molho.. a batata em si é ótima! A maionese, bem.. nada de especial. Dispenso!
Outras opções de acompanhamento são: catupiry, cheddar, maioneses light, molho rosé e barbecue.
Preço: R$ 13,90 (batata) e R$ 4,00 (maionese)



Devo dizer que chegou tudo rapidinho!
Quase não deu tempo de tirar algumas fotinhos do lugar! rss

Claro que comer isso tudo no "seco" não seria fácil!
Por isso pedimos um suco de 700ml de melancia. Bem refrescante!
Preço: R$ 7,60

Avisei a ele que postaria a foto! Aqui está!
Detalhe foto do uniforme e é claro, o suco geladinho!

Ok, os preços não são dos mais baratos.
Mas garanto que enchem o estômago muito mais do que um Mc Donald's ou um Burger King #fato.
Mais sabor e a qualidade do serviço de um restaurante. Recomendo!

Floripa já tem gente apostando nessa tendência. A La Padá é um exemplo, já comentamos aqui, lembram?

A o total da conta, com os 10% foi: R$ 76,56
Aceitam cartões.
Vantagem que há estacionamento do Shopping Morumbi. Um luxo para Sampa! E o fato de que ali há uma loja da MAC cosmetics (momento consumismo!!) só é vantagem! :D



Quem já foi comente!!
Quem não foi também!

Beijo e até a próxima!

22 de abril de 2012

Cozinha das Quatro: Café Gelado

Alguns dias atrás uma conversa me deixou com vontade de tomar um café gelado. Descobri uma receita que prometia ser deliciosa em um dos meus sites preferidos e deixei o link salvo no navegador para testar na primeira oportunidade, antes que esses ares de verão nos deixem. Aí hoje de manhã fui toda inspirada anotar a tal receita para testar e... o segundo passo consistia em "aguardar 8 horas...". 

Certo que eu não podia esperar oito horas para tomar o café gelado, então, depois de uma pesquisa rápida de outras receitas, resolvi fazer um teste e criar a minha própria! 

Primeiro, fiz um café bem forte (o meu normal). Em seguida, bati no liquidificador:
200ml do café recém passado
100g de creme de leite leve
100ml de leite (usei semidesnatado)
1/2 col. de café de extrato de baunilha
2 col de sopa de Brown Cow (calda de chocolate)

No copo, coloquei várias pedras de gelo e adoçante antes de colocar meu café gelado. Todas essas medidas são aproximadas. No meu copo, coloquei um pouco mais de leite, para ficar mais suave. O namorado gostou do mais forte. 

Outra coisa importante: se você não tem uma sogra querida que importa extrato de baunilha pra você, sugiro não colocar essência, que nunca fica legal em nada. Se você encontrar extrato de baunilha por aqui (ou em uma viagem), compre na hora! O gosto não se compara, pode acreditar!

Veredicto final: achei bem gostoso e o namorado adorou! 

A conversa que deu origem a esse desejo foi com a Helena e a Joana, estudantes de design, que nos convidaram para um café e uma conversa sobre embalagens de cafés gelados. Elas estão desenvolvendo um projeto super bacana nessa área, que esperamos poder mostrar pra vocês logo logo! 
Se testar a receita, vem me contar o resultado, ok?
Bom domingo!

20 de abril de 2012

Aqui também se fala em questões ambientais!

E muito bem minha gente!
Hoje é sexta-feira mas nem por isso blog entra em clima de final de semana!

Com quatro advogadas administrando isso aqui não poderia faltar assuntos sérios.
Vamos falar de questões ambientais, mas sem chatice. Os mais íntimos, podem chamar simplesmente de sustentabilidade.

A notícia não é nova, mas vimos no site do Globo Rural uma matéria sobre a preocupação da indústria com o descarte de cápsulas usadas nas máquinas de espresso atuais.

Para quem não conhece, existe no mercado máquinas como as da Nespresso que utilizam cápsulas feitas de alumínio e plástico polipropileno (ué? Plástico pra mim é plástico e ponto. Não me peçam explicações!) como as demonstradas aqui:


Fonte: www.frescurizese.com.br / Google imagens
Já outras marcas utilizam sachês parecidos com as de chá, para extrair o café.

Quem faz um, dois, três ou mais doses de café por dia nessas máquinas as vezes não se dá conta do volume mensal/anual de resíduos.
Pequena explicação: não falei lixo, e sim RESÍDUO que é aquilo que descartamos mas ainda tem uma utilidade, seja para reaproveitamento, seja para reciclagem. Lixo é aquilo que realmente não tem mais função.

Com isso, as empresas tem procurado soluções para os resíduos resultantes o uso das máquinas que produzem.

Para não falar besteira, resolvi consultar uma especialista.
Fernanda Maria Vanhoni, engenheira sanitarista por formação e Vice-Coordenadora do curso de Engenharia Sanitária da UNISUL, esclareceu algumas questões.
Faço dela, as minhas palavras.


"Os sachês se forem de papel, como algumas embalagens de chá, podem ser colocados junto com o reciclável. Já com relação as cápsulas, não saberia te dizer se pode ser encaminhado para o reciclável ou comum, precisaria ver o que diz a embalagem e saber se vale a pena a separação do alumínio e plástico (se existe a tecnologia como já é feito com as tetrapak). 

A coleta do reciclável em Florianópolis é feita pela COMCAP e em Palhoça será iniciada em maio pela Proactiva. 

Importante destacar nesta questão do reciclável, que alguns materiais são recicláveis como o vidro por exemplo, mas devido a questões econômicas, não encontra mercado para retornar ao ciclo produtivo. 

Para nossa satisfação, o município de Florianópolis é modelo nacional na questão de coleta seletiva e o nosso Estado é o melhor do país na questão de destino adequado de resíduos."


Esclarecedor, concordam?!

Não quero de jeito nenhum ser "ecochata", pelo contrário, considero que educação e consciência é que reduzirão a poluição no mundo.
Ser crítico e ter conhecimento é uma das armar mais poderosas que nós temos, use-as!

Por Juliana Rodrigues

19 de abril de 2012

Bistrô Armazém da Pasta - degustação

Olá queridos leitores!

Quem acompanha nosso blog pelo Facebook sabe que nesta quarta-feira, dia 18 de abril, completamos 20.000 acessos!
Obrigada novamente a todos nossos leitores, vocês fazem esta nossa experiência cada dia mais especial! Vocês são mara!!

Pra aumentar ainda mais o nosso "passe" (risos), fomos convidadas para degustar o almoço executivo do Bistrô Armazém da Pasta, localizado no boulevard externo do Shopping Iguatemi.



Desta vez somente eu e a Paty pudemos ir lá, pois a Carol e a Vivi precisaram trabalhar (afinal alguém tem que sustentar isso aqui! :D Sentimos a falta de vocês queridas!)

Mas essa notícia já é velha, porque nossas blogueiras parceiras Tati do Floripa na Mesa e Pri do Saboreando Floripa já passaram por lá na segunda-feira e comentaram tudinho (é só clicar no nome dos blogs!)
Tiveram um pouco mais de sorte do que nós, pois foram acompanhadas pela proprietária do bistrô, que infelizmente só pode passar em nossa mesa para dar um alô!

Fomos recepcionadas pelas assessoras de imprensa Camilla Geiger e Viviane Bornholdt da Fábrica de Comunicação. Foi um prazer conhecê-las!

Edinara Almeira e Jonas Costa, são casados e saíram de uma carreira na área de publicidade para abrir, juntamente com Roberto de Lauro, o Armazém da Pasta, há dois anos.
Já com outra sócia, Edna Almeira, investiram na Spaghetteria Santo Antônio Caffe - já conhecemos! Vale a pena! É localizado no bairro de Sto Antônio de Lisboa.

O Armazém não é só restaurante de massas. 
Seu horário de funcionamento é extenso!

Abre suas portas às 08h30min para o pessoal começar um dia com café reforçado. Além do almoço e jantar, também tem opções para o café da tarde, happy hour e reservas para grupos maiores.
Atendimento segue até a meia noite!

Conta também com opções de massas e molhos congelados intitulado "Armazém da Pasta" para fazer as delícias todas em casa. Há muitas opções!
Estes produtos vem de um fornecedor do Rio Grande do Sul. Longe assim porque foi resultado de uma extensa pesquisa, já que os proprietários prezam por comidas orgânicas e frescas, ou seja, qualidade.



A novidade agora é o menu executivo.
Feito especialmente para quem anda na correria do dia a dia, mas que quer fugir dos fast food.

As opções seguem um esquema de "sugestões do dia", que no dia da degustação incluiu uma entrada de abobrinha recheada com queijo (supomos seja gruyère). Sabor suave, e agradável para começar a refeição!



Para os pratos há 4 opções:
- Arroz, feijão, legumes sautê e salmão grelhado R$ 30,50

Como ninguém à  mesa pediu este prato tivemos que tirar fotos do de um outro freguês.
Infelizmente pediu sem feijão.. sem graça! rss Parece gostoso, não?

- Madalena de camarão gratinado R$ 31,50
Provamos um pouquinho deste aí, estava uma delícia! Bem temperadinho e os camarões cozidos bem. #ficaadica



- Sorrentino de camembert com rúcula ao molho de champagne e  mignon grelhado R$ 32,50
Este foi a nossa escolha. Sente-se o gosto da rúcula e do queijo. Carne veio cozido na medida pedida por cada uma: um ao ponto e outro bem passado.
Sugerimos ao chef acentuar o sabor de champagne do molho, pois o queijo se sobressaiu demais para o nosso paladar.
De qualquer forma, vale a pena experimentar!

à esquerda: ao ponto. à direito: bem passado.

E é claro que, para aquele preocupados com a balança, ou que simplesmente não querem massa, há opção de salada:
- Mix de folhas, frango defumado, lascas de gruyère e redução de laranja R$ 26,50

Como ninguém da mesa estava de dieta, deixamos para experimentar uma próxima vez! :D #lindasemagras

PREÇOS: estão aprovados. São bons se comparados à qualidade.
ATENDIMENTO: Não recebemos tratamento especial pelos garçons (considerando a ocasião do convite) que foram prestativos, atenciosos e souberam explicar o conteúdo dos pratos.

Comemos também sobremesas, que não estão incluídas no menu executivo.
Há bastante opções, muitas delas expostas em um balcão gelado dentro do restaurante.

dedinho da Paty no momento da escolha.
**Falha técnica foi a falta de disponibilidade de algumas opções, que deixaram algumas presentes momentaneamente insatisfeitas, mas logo escolheram outras, que foram:

- Mousse de doce de leite com banana R$ 6,50
Estava uma delícia. Pode-se sentir um gostinho levemente alcoolico, talvez a redução de um conhac ou cachaça, ou algo parecido. Apenas adivinhação, não perguntamos pra saber!



- Mousse de chocolate com avelã R$ 6,50
Igualmente gostoso. Nada com um chocolate pra adoçar o paladar! Especial!



- Torta de damasco R$ 6,50
Não provamos, mas foi aprovado!



- Petit gâteau com sorvete R$ 10,50
Precisa dizer? Também foi aprovado!




É claro que as blogueiras tomaram um cafezinho né.

Infelizmente não podemos falar como estava o sabor pois quem come doce não sente a verdadeira essência do café.

Lá é servido o Treviolo, conhecido por ter uma base de 30% grão robusta que, por natureza, causa um retrogosto acentuado, não muito agradável!
**Sugerimos que a casa troque a marca e especialize a execução do espresso. Podemos indicar uma consultoria!

Escolhemos:
- Espresso pequeno puro R$ 2,80
- Cappuccino (esquecemos de anotar o preço!)





O ambiente lá é um show à parte.
A decoração é irreverente e valoriza a cultura local. Encanta o olhos!


Quem vai ao toilette vê isso!

Segredinho feminino!

Detalhes do deck

Detalhes do deck. Poltronas fofas!

Detalhes internos
**Outro problema lá é a falta de ar-condicionado no deck.
Nesta quarta-feira fez calor e chegou um momento que nos sentimos desconfortáveis.
Mas isso é uma questão da administração do shopping que possui regras rígidas de arquitetura. Vai entender.. Os proprietários estão brigando por isso! Damos todo o apoio!!

That's all folks.
Espero que tenham gostado desta nova experiência.

Grande beijo!
Voltem sempre!

Av. Madre Benvenuta, n.687, Santa Mônica.
Boulevard externo - Shopping Iguatemi
Aberto das 08h30 à meia noite. De segunda a segunda.
Fone: 48 3024-2828

Aceitam cartões: Master e Visa.
Estacionamento: do próprio shopping.

18 de abril de 2012

Keep Calm and...



Vocês conhecem esse famoso cartaz inglês feito no início da Segunda Guerra Mundial?  (clica pra entender)

Alguns anos atrás começou na internet uma moda desenfreada de fazer um milhão de versões do tal cartaz... 




Mas olhem esse... não é perfeito?


Bora manter a calma e fazer café!


16 de abril de 2012

Gramado/RS: Bello Gusto Cafeteria


Finalizando os cafés que visitei em Gramado (#atrasada), apresento a vocês o Bello Gusto.

O café fica na movimentada Av. Borges de Medeiros e é ideal para uma pausa num dia de passeio. Como em Gramado se come muito e o tempo todo, ficamos só nos cafés mesmo...

O espresso (R$4,00) estava muito gostoso, com um chantilly bem levinho que até eu achei bom!  Vem também com uma mini bolachinha de limão deliciosa!!! 


O Mocca (R$8,00) que meu namorado pediu chegou lindo à mesa e também estava super gostoso!! Sei que estava gostoso porque fui obrigada a provar, ossos do ofício de ter blog de café, né gente?? rs

Sentamos numa das mesas externas e aproveitamos o clima gostoso de Gramado nessa época do ano. Na parte interna tem ar condicionado. O atendimento foi simpático e atencioso, do jeito que a gente gosta!

Se estiver de carro, procure uma rua por perto, pois na própria avenida pode ser difícil de estacionar. Como andar pelas ruas de Gramado não é nenhum sacrifício, não há problemas. Na hora de pagar, fica fácil pois eles aceitam cartões.

Vai lá: Avenida Borges de Medeiros, 2193 / Sala 4, Gramado / RS. Tel. (54) 3286-2293

13 de abril de 2012

Villas Café - Jurerê

De vez em quando alguém sugere algum lugar pra irmos conhecer.
Desta vez foi a Pri (Saboreando Floripa) que comentou sobre o lugar que comentaremos hoje!

O Villas Café apesar de fazer parte do Hotel Boutique Villas del Sol y Marfica um pouco distante do hotel. Ambos localizados em Jurerê, - nem tanto internacional, pois fica na parte mais antiga da praia/bairro.

De café, não tem muito. Mas vale a pena conferir.

O que impressiona é a decoração do local.
Ficamos impressionadas com o jeito moderninho/chic do Villas. Dá uma cara de vanguarda para o lugar, sem ficar gritante, super agradável!



Claro que as blogueiras começaram os trabalhos com um cafezinho, já que não abandonamos o hábito nunca!
Foi um espresso pequeno com chantilly (R$ 4,50), um moccha (R$ 6,00) e outro espresso, no finalzinho do encontro (R$ 4,00).



Chegaram à mesa decoradinhos e acompanhados por um biscoito, que de sorte não tinha nada! Frases sem noção, o que torna tudo muito engraçado!

Como o objetivo era fazer um lanche, típico de café da tarde, focamos na parte de entradas do cardápio.
Mas lá há comidas típicas de um bistrô, ou seja, um menu compacto mas com boas opções de risottos, sanduíches, entre outros.

Das entradas, batemos o olho direto na bruschetta de cogumelos com manteiga de trufas (R$ 18,00). Pra quem curte cogumelos, como nós, estavam super bem temperados, por mim, comeria de colher, sem o pão! :D



 Muita conversa depois, bateu fome de novo e apostamos nos mini hamburgueres de mignon com mostarda francesa (R$ 20,00) que consiste em quatro carnes sobre pãezinhos regados ao molho. Simplesmente delicioso!


Claro que não comemos isso só com café! Não somos tão excêntricas assim..
Pedimos suco de melancia fresquinho, pois lá eles fazem sucos de frutas frescas e não de polpa.



Há opções de outros drinks, cervejas e vinhos, além de sobremesas.

Fomos super bem atendidas, tão bem que ganhamos até flores de guardanapo de um dos garçons!
Uma das proprietárias, desculpa! esqueci seu nome!, foi muito simpática conosco.
Nos informou que pretendem transferir o café da manhã do Hotel Boutique para cá.

A experiência foi ótima, apesar de algumas pequenas voltas por Jurerê até achar - e duas pessoas cegas dentro do carro viram tudo menos o café, que é super fácil de achar.

Segue mapa para se acharem e aproveitarem o lugar: uma belezinha!
Se já foram comentem e se forem, comentem também! Queremos suas impressões!

Até a próxima!

Villas Café
Fone: (48) 3206-6626
Obs.: não fica no Hotel Boutique! O Café fica a mais ou menos uma quadra antes do hotel! #ficaadica


12 de abril de 2012

Café com chocolate

Páscoa é sempre aquela coisa, ganhamos vários chocolates e afins. E no meio dessas doçuras uma se destacou, drágeas de chocolate recheadas com grãos de café ou grãos de café cobertos de chocolate, como queiram. rs




Bem, não sou nenhuma especialista em degustação de chocolates, mas de café entendo um pouco. Portanto, posso comentar que os grãos de café estavam na sua maioria torrados demais, o que mesmo com a cobertura de chocolate ao leite saborosa, deixavam um amargor ao final.
Curiosa que sou, fui dar uma fuçada no amigo Google para saber se esse produto era exclusividade da Caracol Chocolates e descobri que não. 
O Portal Espresso fez uma degustação de drágeas de café com cobertura de  chocolate de outras duas marcas.
Veja aqui o que os convidados do Portal, Rodrigo Gava, da cafeteria Gava Café, e o chef pâtisserie Fabrice Le Nud, que comanda a Pâtisserie Douce France (já falamos dela) comentaram. 


E aí, já provou algum chocolate com café? Conta para nós. 
beijos

9 de abril de 2012

Curso Básico de Barista - Parte II

Como prometido, cá está a segunda - e mais desafiadora - parte do curso de barista que fizemos na Empório Sweet Home.

Depois da teoria, chegou a parte prática.

Como já havia comentado no primeiro post, tenha pena da pessoa que tira seu cafezinho naquela pausa para ir à uma cafeteria. É um trabalho manual de precisão e muito cuidado, que nem sempre é compatível nem com o que o dono comercial quer pagar pela qualificação nem com o tempo necessário para se tirar um bom espresso.

As questões teóricas foram vistas no dia anterior e então partimos para a mão na massa, ou melhor, a boca na xícara, pois degustamos uma variedade razoável marcas e origem de grãos de café. 

Não vamos informar quais foram as marcas por uma questão de ética. Algumas experiências foram desastrosas e, nem por isso vamos "queimar" as empresas já que o objetivo era identificar com todos os sentidos o que faz um espresso ser bom ou não.

Antes de tudo cheirávamos os grãos ainda dentro do saquinho, por aquela válvula que só permite que o ar saia e não entre no pacote.
Ali percebíamos aromas específicos. O arábica tem, naturalmente, um cheiro achocolatado mas que, dependendo do terroir - terreno no qual é cultivado - pode acrescentar aromas de frutas cítricas - como as vermelhas e o limão - castanhas, entre outros.

Isso pôde ser percebido na degustação.
Degustar, o que é? Bom digamos que é "quase" tomar um micro gole de café, espalhar pela boca toda e descartar num copinho.
Nojento? Um pouquinho, mas depois da primeira você já se acostuma.

E foi assim que experimentamos uma variedade de grãos sem ficarmos uber alertas por conta da cafeína.

Muitas são as questões a serem observadas antes dar o primeiro gole.

Primeiramente, olhe para a estação de trabalho do barista.
Deve estar sempre limpa, uma das principais características desse especialista.
O moedor deve estar sempre "vazio". O grão não pode ficar exposto muito tempo à luz e ao ar, isso altera sensivelmente o sabor final do seu café, que não será dos melhores.

Este aí é o Zeca, nosso mestre!
Repare o moedor vazio do lado esquerdo e as xícaras viradas para cima, em cima da máquina de espresso.

Cada origem de grão e forma torra depende de um tipo de granulometria, ou seja, uma moagem mais fina, quase pó de talco até uma mais grossa, típica de cafeteiras caseiras.
Isso define, por exemplo, o quanto e quão rápido a água vai passar pelo coador. É assim que veremos se o espresso vai sair do jeito ideal, composto por 30 ml de água ou então superextraído - que dá gosto de queimado - ou supraextraído - aguado.

O que também define um bom espresso na hora da tiragem é a forma como o pó foi prensado no coador.
O barista precisa exercer uma força equivalente a 15 kilos sobre o pó além de deixá-lo absolutamente uniforme, sem nenhum relevo esquisito ou um lado mais alto que o outro.
Imagina fazer isso no dia a dia de uma cafeteria??
Não é fácil!



Ainda na estação do barista observe: sabe aquelas xícaras que ficam em cima da máquina esquentando, pois bem, elas devem estar todas viradas para cima.
Questão lógica: para você não queimar a boca na hora de tomar o café! dãã!

A temperatura da água utilizada para extração não passa muito dos 90ºC. Isso quer dizer que até chegar à sua mesa, o café não passa do 80ºC/70ºC. Isso não é café frio, é café na temperatura normal.
Você deve poder pegar a xícara com a mão, sem se queimar.

Sabe aquela espuma que vem em cima do café? Chama-se crema.
Se veio sem, é porque o espresso não foi extraído corretamente.
Se veio com, deve ter uma cor caramelo, mais escuro ou mais claro que isso, pode ter certeza que há algo errado.
Ela deve ser consistente e não se dissipar tão facilmente.

A "crema" sendo formada bonitinha!
O primeiro gole pode ter aquele azedinho que todo mundo faz cara feia quanto toma café sem açúcar, mas o retrogosto - aquele no começo da garganta - deve sumir rapidinho.
Se perdurar, é porque o espresso oxidou rápido por conta da extração, ou a água queimou o café.
Quando este último acontece, é péssimo! Você fica conversando com o café o dia todo e aquele ranço parece que não sai com nada.

O aroma do café já tirado também deve ser agradável e é geralmente ali que você sente aqueles especiais já comentados acima.
Um exemplo de quando há características de frutas cítricas é que após o gole você sente um repuxar no maxilar.. bem divertido quando isso acontece!

Detalhe: quanto mais escura a cor do grão, geralmente o café terá sabor mais forte.



A experiência de tirar um expresso é indescritível.
Todos, sem exceção, tremeram.
E, ninguém, de quase 20 pessoas, conseguiu extrair um espresso decente.


Todas sorridentes, prestando atenção nas últimas orientações.
Mal sabíamos a tensão que estava por vir!


Em resumo meus caros, foi isso que aprendemos!
Há muitas curiosidades a serem ditas, assim deixaremos para outros posts para não cansá-los de primeira!

Tenham o hábito de apreciar o café como uma experiência única.
O Brasil é o maior produtor e, portanto, nós devemos ser os melhores críticos.

Exijam 100% arábica e bon appetit!

Um abraço!
E até a próxima!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...